“Vou te contar um pouco sobre ela. O suficiente pra que você a queira sempre por perto. Ela é diferente de todas as outras, mas não diferente estranho, embora ela tenha algumas manias estranhas. Ela não tem aqueles três sorrisos, ou aquele olhar marcante, ela não vai te surpreender com nada, e nem esperar muito de você, ela espera pouco dela, desde as atitudes a tudo que envolva outra pessoa. Ela não vai dedicar musicas pra você, ou te chamar dos apelidos carinhosos, que dão embrulho no estômago, ou ver aquele filme meloso e dizer - Lembrei de você - não espere isso vindo dela. Ela é medrosa, tem medo de fantasmas e do escuro, e não suporta que falem nada que a deixe assustada, mesmo vindo da voz que sempre a acalma. Nela você vai encontrar todos os defeitos do mundo, e todas as manias mais irritantes possíveis, vai querer que ela pare de falar por inúmeras vezes, mas logo vai estar sorrindo só de ouvir as histórias que ela tem pra contar, dos amores que ela quer viver, e do futuro que mesmo incerto, ela escolheu pra ela. Nela você também encontrará muitas qualidades, as melhores possíveis, não aquelas que você encontra em qualquer uma por ai, em qualquer garotinha carente, que só quer um pouco de atenção, colo e carinho. Ela vai querer sim atenção ao longo do dia, e querer escutar sua voz antes de dormir, e vai negar de pés juntos, jurar que só ligou porque, estava sem sono mesmo. Mas preste atenção, e cuide dela. Ela não pode beber, porque fica mais alegre do que já é. E se quiser conquista-lá pela barriga, compre algumas algas e salmão, e prepare uns bons sushis, ela vai sorrir, e dizer que é a coisa mais horrível que ela já comeu, e que você não sabe fazer direito, tudo isso só pra te irritar. Preste atenção nela quando ela quiser carinho, ou quando estiver carente, não precisa de muita coisa, basta falar com ela, fazer ela sorrir, e dizer coisas safadas e carinhosas. Essa garota não é igual a nenhuma outra que você já conheceu, ou venha a conhecer, e sem essa de - mas ninguém é igual a ninguém - porque todas as outras querem ser como ela. Se você a fizer gargalhar pode ter certeza de que começou certo, e o som da risada dela é o mais gostoso de se ouvir, embora ela tenha uma voz fina que as vezes da sono de escutar. Ela ama contar como foi o dia dela, e o que vai fazer daqui a 2, 3 anos. Ela vai te xingar, implicar, fazer qualquer coisa pra chamar a sua atenção, e se você não perceber, ela irá continuar até você notar. Ela é alegre, brava, carinhosa, sarcástica, um poço de sentimentos. E se um dia vocês a verem caminhando por ai, digam a ela que os seus melhores sorrisos estão comigo.”
Junior Araujo.   (via democratizando)


Maconha não muda caráter, maconha em si é menos prejudicial do que muita coisa que você bebe em festinha de família ou fuma por ser charmoso, ou porque era. Maconha é menos prejudicial que coca-cola, é menos prejudicial que a gordura de um bacon gostoso ou de um churrasco. É menos prejudicial do que a cerveja que legalizam e que vira puro açúcar no sangue. É menos prejudicial que o roubo, que o desrespeito. Que as vidas roubadas em acidentes por embriaguez. Menos prejudicial que o descaso que os mesmos políticos, polícias e milícias que proíbem o seu uso tem para com a sociedade. É medicinal, mesmo que a maior parte das pessoas digam que não. É tabu, o que é necessário pra manter uma sociedade ignorante e pau mandada. Controlada! É prejudicial, porque querem que seja, porque o lucro é maior quando é assim. Porque é mais fácil proibir e dizer que o tráfico é ruim, mesmo que ele seja, do que liberar e criar normas em cima disso. É mais fácil a alienação para a falta de revolução. Se não sabem que é bom, se não sabem que não faz mal como dizem, se não sabem que faz bem, que ameniza dores, que ajuda na cura de doenças crônicas, depressão, entre outras. É bem mais fácil aceitarem as respostas prontas sem nem fazerem questionamentos. A maconha é só um exemplo da falta de respeito para com as pessoas, falta da liberdade, falta da expressão. A falta de caráter é a de dizer que é tolo, criminoso quem se envolve. E não dar a chance de que seja votado pela legalização. Por decisões conscientes e bem informadas. É triste perceber que o que é decidido é o que a minoria rica quer. E infelizmente, a maioria que somos nós, permanecemos alienados, mal informados e num ciclo anti-melhorias. Permanecemos, controlados.



“Nada foi em vão, foi tudo por você.”
Onze:20. (via emendarei)


“Ontem ela me ligou, perguntou como eu estava e falou que tudo ia ficar bem. “Mas que tipo de pessoa ela é, te abandona e quer que você fique bem”, indagou minha mãe ao ver uma lágrima escorrendo pelo meu rosto. Para minha mãe ela era o pior dos monstros, mas para mim? Bom, sem que ninguém pudesse ouvir eu sussurrei “Ela é o tipo de pessoa que me faz feliz”.”
Anderson Babinski  (via negalizado)


lovucky